Percepção de Valor de Softwares

15 F Y

Recentemente comprei em uma promoção na Steam 7 títulos da série GTA: GTA, GTA2, GTA3, GTA Vice City, GTA San Andreas, GTA IV e GTA Episodes From Liberty City. Todos juntos me custaram, com dólar convertido a uma cotação não muito boa, R$ 23,08. Eu não esqueci nenhum “0”, foram vinte e três reais e oito centavos mesmo. Fiquei realmente feliz, vários destes jogos marcaram minha adolescência, e chego a dizer inclusive que perambular por Vice City, Liberty City e pelo mundo enorme retratado em San Andreas me ajudaram a ter um ótimo senso de localização, ao ponto de ser difícil eu me perder em algum lugar (do mundo real), mesmo que o conheça muito pouco.

Daí, três fins de semana depois, fui convidado para o aniversário de um amigo. Sem beber pois estava dirigindo, torrei em 3 horas R$ 27,00, com coca-cola e alguns (poucos) petiscos. Quem estava na cerveja ou no whisky chegou a pagar mais de R$ 50,00. No outro dia, saí com minha namorada e duas amigas dela que estavam de passagem aqui em Recife para um bar mexicano. Novamente sem beber, apenas duas coca-colas e um taco, lá se vão outros R$ 27,00 em duas horas.

Chegando em casa, entrei na Steam para botar um dos GTAs para baixar, e sou recebido com uma mensagem avisando de uma promoção de F12011 + Dirt3 por US$ 29,99, 70% de desconto em relação ao preço original. Isso daria, com uma cotação novamente não muito boa, aproximadamente R$ 54,00. Por dois jogos. Dois jogos BONS e suficientemente novos. De corrida, um tipo de jogo que eu realmente curto. Eu os teria por um bom tempo, e com certeza passaria dias e dias me divertindo. Mas meu pensamento imediato foi “não tenho grana pra isso agora não”.

Fui pra cama e isso começou a martelar em minha cabeça. Eu havia acabado de gastar naquele mesmo fim de semana o mesmo valor que aproximadamente eu gastaria para comprar os jogos. Não me senti “mal” nem totalmente desconfortável de pagar R$ 27,00 em cada um dos bares em que passei pouquissimo tempo, mas rejeitei de primeira  a idéia de comprar dois jogos que durariam por uma eternidade e meia… Isso me incomodou bastante (mas não o suficiente para comprar os jogos…), e comecei a pensar nessa situação.

Não estou desmerecendo o trabalho e o custo que os restaurantes e bares têm, por favor me entendam corretamente. Minha questão não é dizer que eles foram caros, e sim que software em geral não é visto (mesmo por quem é da área, desenvolve e sabe o trabalho desgraçado que dá fazer algo com qualidade), como algo que se vale a pena gastar dinheiro. É impressionante, e por vezes revoltante, ver developer que vai pra restaurante caro, balada mais cara ainda, pirateando jogo. Ambas são formas de diversão, mas é muito mais difícil ver gente tentando sair de restaurante sem pagar do que obtendo jogo de formas obscuras.

Quando levamos isso para outras áreas, aí é que fica complicado mesmo. Muita gente acha R$ 150,00 numa licença de OS (que você literalmente usa o tempo todo) caro, suite de produtividade, edição de imagens e outras ferramentas profissionais por valores entre R$ 300 e R$ 1.000 são considerados absurdos. Empresas de desenvolvimento de software customizado sofrem com propostas absurdas de clientes querendo sistemas complexos a preço de banana, ou alterações em sistemas já existentes de graça ou muito perto disso, pois “é só criar uma telinha nova”. Seguindo na mesma linha anterior, é difícil ver gente tentando roubar serrote, máquinas industriais e outras ferramentas de trabalho, ou pedindo pra uma empresa de engenharia construir um “puxadinho” no seu negócio de graça… É difícil para a maioria das pessoas entender que algo que elas não podem “pegar”, e que parece ser tão pequeno, tem um custo alto para ser produzido.

Como estava discutindo com alguns amigos recentemente, as pessoas não veem que software e TI em geral não são apenas custo, e sim investimento. Um software de R$ 12.000,00 pode (já ví isso acontecer) fazer em um dia o seu usuário ter um faturamento de R$ 150.000,00, numa situação em que sem o mesmo software, o valor faturado não teria sido nem a metade de acordo com dados históricos do cliente. Redes de lojas tem seu processo absurdamente otimizado com o uso de um sistema bem projetado de acordo com o seu negócio, aumentando a agilidade nas vendas, lucro e talvez até a satisfação do cliente, mas ainda assim muitas delas consideram TI como um gasto incômodo, apenas uma “obrigação formal”.

Enquanto nós mesmos que somos da área não valorizarmos nosso trabalho e o de nossos pares, acredito que vai ser complicado mudar esta percepção para o resto do mundo.


Os números de 2010

2 F Y

Uma das coisas que eu gosto no WordPress é a impressão de um contato meio “pessoal” com cada blogueiro que usa o serviço, é um esforço muito legal da equipe da Automattic. A funcionalidade “Humanizar” nas estatísticas por exemplo, tenta dimensionar a quantidade de visitantes do dia no seu blog usando algo no mundo real que esteja relacionado a este número, como habitantes de uma cidade por exemplo. Esse ano, eles me enviaram um email com uma “retrospectiva” do blog em 2010, que irei compartilhar com meus poucos leitores aqui:

Os duendes das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O Blog-Health-o-Meter™ indica: Uau.

Números apetitosos

Imagem de destaque

Cerca de 3 milhões de pessoas visitam o Taj Mahal todos os anos. Este blog foi visitado cerca de 28,000 vezes em 2010. Se este blog fosse o Taj Mahal, eram precisos 3 dias para que essas pessoas o visitassem.

Em 2010, escreveu 40 novo artigo, aumentando o arquivo total do seu blog para 69 artigos. Fez upload de 60 imagens, ocupando um total de 9mb. Isso equivale a cerca de 1 imagens por semana.

O seu dia mais activo do ano foi 2 de julho com 197 visitas. O artigo mais popular desse dia foi Promoção TIM Brasil Infinity – Torça mais ainda para o Brasil ganhar a Copa.

De onde vieram?

Os sites que mais tráfego lhe enviaram em 2010 foram google.com.br, pt.wikipedia.org, twitter.com, pt-br.wordpress.com e mail.live.com

Alguns visitantes vieram dos motores de busca, sobretudo por servidor svn, giro embratel, svn server, visualsvn tutorial e visualsvn server

Atracções em 2010

Estes são os artigos e páginas mais visitados em 2010.

1

Promoção TIM Brasil Infinity – Torça mais ainda para o Brasil ganhar a Copa abril, 2010
1 comentário

2

Embratel Giro – Primeiras Impressões – parte 3 (O primeiro mês) dezembro, 2008
301 comentários

3

Embratel Giro – Primeiras Impressões – Parte 2 (As primeiras 24 horas) outubro, 2008
316 comentários

4

Visual SVN Server – Um servidor subversion “plug and play” e free março, 2008
23 comentários

5

Embratel Giro – Primeiras Impressões – Parte 1 (a escolha) outubro, 2008
22 comentários

Gostei dos números, apesar de estar com a sensação de ser um museu… Dos 5 posts mais visitados em 2010, 4 foram escritos em 2008, e um deles foi o segundo post “de verdade” que escrevi aqui (interessante é que ainda lembro quando o escrevi, virei uma noite testando as coisas, tirando screenshot e depois escrevendo 🙂 ). Outros 3 são os relatos de minha experiência com o Giro, da Embratel, serviço que não uso mais, mas pelo jeito ainda interessa muita gente. Tenho um carinho especial por esses posts sobre o Giro, pois eles criaram uma “comunidade” em seus comentários, e no curso de C#/.NET Framework  que ministrei pelo CITi em 2009, cheguei a conhecer pessoalmente um dos commenters!

Esse ano espero postar mais no blog, compartilhando mais conhecimento e experiências com vocês, e esperando receber relatos e complementos aos meus artigos através da sua participação nos comentários.

Feliz 2011 para todos!


Imagine Cup 2010 – Dia 2: Primeiro Round

4 F Y

Primeiramente, de ontem para hoje eu dormi durante uma hora, no chão da sala Brasil. O resto do pessoal da Proativa está praticamente na mesma condição. Trabalhamos muito, muito estresse nesta reta final, mas conseguimos finalizar tanto os pequenos detalhes da app como a apresentação.

Pela manhã, ocorreram tanto o briefing geral como o exclusivo para Software Design. De maneira bem descontraída, os capitães de SD nos repassaram algumas instruções e por fim soubemos o horário e o local de nossa apresentação. Também no briefing pudemos contemplar a taça da Imagine Cup que tanto desejamos obter ao final da competição.

Fizemos alguns treinos, apresentando para o pessoal da Microsoft Brasil e do Bradesco que está nos acompanhando e conseguimos vários feedbacks para melhorias na apresentação. Trabalhamos até o último minuto fazendo os ajustes sugeridos, e fomos para a apresentação.

Lá chegando, novamente encontramos o pessoal que está nos apoiando, e esperamos com eles a permissão para entrar na sala da apresentação. Tinhamos 25 minutos para fazer o setup da sala, mas como chegamos lá bem preparados, não chegamos a usar nem 15 minutos para deixar tudo pronto.

Fizemos nosso pequeno ritual de preparação, cantando a 5a sinfonia de Beethoven bem alto para afastar as preocupações e ficar relaxado para a apresentação. Quando os juízes entraram na sala, pudemos conversar descontraidamente com alguns deles, sobre diversos assuntos (inclusive claro, futebol…)

Finalmente, chegou a hora. Nosso amigo Edgar, responsável pela apresentação, estava muito seguro, e conseguiu passar de maneira muito clara todo o conceito e o embasamento do Pro@Edu. Júlia, nossa Persona, foi apresentada aos juízes, que puderam compreender quais são os problemas que alunos de ensino à distância enfrentam atualmente.

Na demo, apresentada na maior parte por Edgar também, os juizes puderam ver todo o potencial do Pro@Edu em ação. Demonstramos nossa aplicação social e nossa aplicação que roda no Windows Phone 7, e os juízes aparentavam estar gostando muito do que viam.

Depois, Edgar fechou a apresentação comprovando que as funcionalidades demonstradas resolvem o problema de Júlia, tornando o Ensino à Distância menos traumático para os alunos e mais rentável e garantido para as instituições.

Um ponto importante de se destacar sobre a apresentação é que as apresentações que fizemos para o pessoal do Bradesco e da Microsoft Brasil realmente foram muito importantes. As perguntas que eles nos fizeram foram muito próximas das perguntas que os jurados nos fizeram. Estávamos com backup slides para praticamente todas as perguntas que os juízes nos fizeram nos 15 minutos reservados para Q&A da apresentação. Isso passou uma impressão muito boa, e a segurança que nós demonstramos com isso foi muito interessante.

No final da apresentação, muito empolgados com a reação que os juízes tiveram com o nosso projeto, voltamos para o hotel, conversando com o pessoal que assistiu a apresentação, e já tivemos mais feedback em pontos que podemos melhorar a nossa apresentação.

Depois de um breve momento de reflexão, nos demos uma folga. Alguns, como eu, foram dormir um pouco, outros foram andar um pouco ao redor do hotel.

Às 9 horas, estávamos dentro do Palácio da Cultura, onde seriam anunciados os times que avançariam para o segundo round. A primeira boa notícia da noite veio da equipe brasileira TMD, de Embedded Development, que avançou para o segundo round.

Depois de anunciar todos os times de Embedded, chega o ponto alto da noite: O anúncio de Software Design. Os times foram chamados um a um. Malásia… Finlândia… Ucrânia… e nós “tranquilamente tensos”, ainda confiantes no nosso trabalho e na percepção positiva que os juízes tiveram. Sérvia, Malta, Marrocos… e a tensão aumentando. Cingapura, Alemanha e Tailândia. A preocupação aumenta. Croácia é o décimo time anunciado, só faltam dois times. Nova Zelândia é chamada depois. Ficamos loucos. Só faltava um time. Uma vaga para 57 times. E finalmente, é anunciado o último finalista classificado para o segundo round: BRASIL! Festa completa na delegação brasileira!

Depois de outro rápido briefing para explicar a dinâmica deste segundo round, fomos liberados, e comemoramos rapidinho, vendo os “melhores momentos” do jogo Alemanha x Argentina num pub do lado do hotel. Tivemos que ser rápidos pois era  nosso desejo voltar logo para voltar a trabalhar melhorando a apresentação com os feedbacks obtidos dos juízes e do pessoal do Bradesco (principalmente Fred), da Microsoft Brasil (Walter Dias) e do Ressoar (Maurício) que puderam assistir a nossa apresentação.

Agora eu me vou, amanhã eu boto mais notícias sobre o andamento da Imagine Cup para a Proativa Team e também para as outras equipes brasileiras! Amanhã tem resultado do segundo round de SD e também do primeiro round da categoria de Jogos! Boa sorte a todos!

PS: Este post tá sendo escrito na correria, depois eu boto umas fotos e vídeos do dia de hoje 😉


Imagine Cup 2010 – Dia 1: Abertura do Evento

3 F Y

As horas aqui na Polônia se comportam de uma maneira bem diferente… O verão realmente faz com que os dias sejam mais longos por aqui, anoitencendo entre as 20h e 21h, sendo que às 3:30 da manhã já começa a clarear. Percebemos isto depois da virada de ontem para hoje… Passamos a madrugada trabalhando, corrigindo bugs de última hora e melhorando a apresentação.

Palácio da Cultura, visto do nosso hotel às 4 da manhã

A atividade mais importante de hoje foi a abertura oficial da Imagine Cup 2010. Um palco foi montado na praça que fica de frente para o belíssimo palácio da cultura aqui em Varsóvia. Foram tiradas as fotos oficiais, e depois, ao contrário do ano passado, onde cada delegação era chamada para compor a platéia, todos foram convidados a entrar ao mesmo tempo na área do evento. Apesar de ter sido menos emocionante do que a abertura da Imagine Cup 2009, não deixou de ser um momento marcante, e com muita festa por parte dos brasileiros. Ver a bandeira do Brasil entre as bandeiras de vários dos países participantes tremulando enquanto Wavin’ Flag tocava foi uma cena muito bonita.

A cerimônia foi conduzida com agilidade, tendo tido rápidos discursos do diretor da Microsoft Polônia, de um ex-primeiro ministro do país e de Jon Perera, gerente geral da área de educação da Microsoft.

Após os discursos, as boas vindas e o rompimento da fita que simbolizou a abertura oficial da Imagine Cup 2010, fomos deixados com um show de uma banda daqui, que particularmente eu gostei muito, mas vou ficar devendo o nome para depois.

A delegação do Brasil se animou e em alguns momentos roubou a atenção, com suas danças improvisadas e a alegria que nos é típica. Ficamos até o fim do show e curtimos muito!

Depois disso, com as honras do Bradesco, nós do Brasil fomos para o Hard Rock Café Warsawa, onde jantamos e vimos o primeiro tempo do jogo Espanha x Paraguai. Algumas equipes que precisavam ainda trabalhar em seus projetos, como a nossa e o pessoal de Embedded Development, voltaram para o hotel.

Estamos aqui agora trabalhando, novamente sem hora para acabar. Amanhã é o dia da primeira apresentação, que irá ser um peneirão onde 56 times serão eliminados na nossa categoria de Software Design, sobrando apenas 12. Boa sorte para nós e para todos os brasileiros!


Imagine Cup 2010 – Dia 0: Chegada em Varsóvia

2 F Y

O vôo para Londres ocorreu sem maiores problemas. Ao pousar em Londres, tivemos que correr para pegar nossa conexão, dado que o atraso de nosso vôo nos deixou em cima da hora, mas toda a delegação brasileira embarcou sem maiores incidentes. Acho que quem teve mais “dificuldade” fui eu, que além de passar pelos procedimentos normais, fui “sorteado” para passar pelo raio-x.

Deixando a Inglaterra para trás, a caminho da Polônia

O vôo para Varsóvia também foi bem tranquilo. O atendimento do pessoal da British Airways (tanto ontem, no momento do check-in, como durante toda a viagem em ambos os vôos) foi muito bom, superando os problemas com o atraso e com os equipamentos de entretenimento de bordo que não funcionavam direito no vôo de São Paulo para Londres, e estas pessoas que nos atenderam acabaram deixando uma impressão muito boa da empresa. Nosso maior problema é que nosso Banner, que foi despachado em São Paulo, não seguiu para Varsóvia, ficando em Londres e até o momento não chegou em nossas mãos.

Chegando em Varsóvia

Ao desembarcar, infelizmente assistimos o fim do jogo Brasil x Holanda, quando já estava 2×1… O pessoal do controle de fronteira foi bem amistoso, permitindo inclusive que o pessoal que estava mais afim de ver pudesse entrar na sala e ficar assistindo até o final da partida. Nossas impressões sobre os poloneses em geral por sinal está sendo muito boa. Até agora, todos foram simpáticos e prestativos conosco.

Proativa Team com o motorista do ônibus que nos levou ao hotel.

Depois de encontrar a equipe de organização local da Imagine Cup no aeroporto, seguimos para o hotel, onde a (também muito simpática e gentil) recepcionista Anna nos ajudou a conseguir um quarto no memso andar para todos os membros da Proativa. Fizemos o check-in, pegamos nosso kit da Imagine Cup, com mochila, agasalho e vários outros itens interessantes, jantamos e nos dirigimos a um dos nossos quartos, onde ainda estamos trabalhando para melhorar nosso projeto e nossa apresentação, sem previsão de hora para acabar!

Proativa Team trabalhando sem hora para parar.


Imagine Cup 2010 – Dia (-1): Ida para Varsóvia

1 F Y

Proativa ainda na fila do Check-in (depois de uma hora e subindo)

Depois do dia de treinamento, hoje passamos por mais um dia cansativo, mas dessa vez, por conta do atraso do vôo. Ao chegar no aeroporto, soubemos que o vôo estava 5 horas (isso mesmo, cinco horas) atrasado. Enfrentamos uma hora e meia de fila para fazer o check-in, e depois de almoçar, ficamos andando no aeroporto até a hora de embarcar.

Avião que levará a Proativa à Londres, de onde faremos uma conexão para Varsóvia.

Às 9 da noite, entramos finalmente no 747-400 que está nos trazendo para a Polônia. Já jantamos, e agora vou dormir, esperando que tudo ocorra bem, para que amanhã, já na Polônia, estejamos prontos para voltar a trabalhar no Pro@Edu.


Imagine Cup 2010 – Dia (-2): Treinamento para apresentação

30 F Y

Jogo rápido, só para não deixar de postar… O dia foi bem cansativo, mas proveitoso. Pela manhã, depois do café da manhã no hotel, tivemos a primeira parte da sessão de treinamento em apresentação, com a Eliane Mesquita, da InMind. Haviamos participado do treinamento do ano passado, mas para este ano, mas ela trouxe várias coisas diferentes e conseguimos identificar novas características nas pessoas da equipe, que ajudam a identificar os canais e as maneiras de atingir os jurados e pessoas que assistam nossa apresentação em geral.

Proativa Team com Eliane Mesquita

Depois do almoço, fizemos uma rápida dinâmica apenas entre nós da Proativa, para focarmos bem no projeto e podermos discutir alguns pontos que estavam pendentes. Depois disto, voltamos para a “aula” de Eliane, onde foram gravados alguns minutos da apresentação, já em inglês, e identificados pontos onde podiamos melhorar.

"Mãozinha da verdade" do grande Murilo da equipe TMD (Embedded Development))

Depois, voltamos para o quarto e estamos desde esta hora trabalhando no projeto. Estamos super empolgados, e com muita vontade de melhorar ainda mais o Pro@Edu.

Se quiser mais informações do projeto, siga nosso twitter: http://twitter.com/proativaTI