Embratel Giro – O fim da saga

O pessoal que acompanhou os posts narrando meu primeiro mês usando o Giro, da Embratel (partes da “saga”: 1, 2 e 3), criou um conteúdo que ultrapassou, e muito, as poucas e breves informações que fui capaz de escrever nos posts propriamente ditos. Até agora, já foram 609 comentários nos três posts que escrevi sobre minhas experiências com o Giro, a maioria muito útil e que deve ter ajudado muitas pessoas, que viram os posts num total de quase 22 mil vezes.

Como alguns devem ter percebido, parei de comentar há alguns meses nos posts do Giro. O principal motivo disso foi que cancelei o serviço há cerca de dois meses, e já não vinha usando praticamente desde novembro do ano passado.

Desde o começo, o serviço sempre teve seus pequenos problemas, mas estes foram piorando consideravelmente. No início, era tolerável devido ao preço, e que apesar da lentidão e do nosso famoso “modo inativo”, o custo-benfício ainda era positivo.

Desde setembro de 2009 no entanto, no lugar onde moro (Cidade Universitária, Recife/PE), eu praticamente não conseguia nem conectar, principalmente durante a semana. Quando conectava, ficava a conexão “morta”, sem conseguir fazer nada. Tentei de tudo, troquei os servidores de DNS, botava o telefone em locais mais abertos, fiz promessa pra Santo Expedito, mas nada deu jeito. Como durante o fim de semana ainda vinha funcionando, continuei com o Giro, mas já procurando por alternativas.

Os fatores para eu cancelar de vez o Giro, além da baixa qualidade que o serviço vinha oferecendo nos últimos meses, foram dois: Primeiro, meu telefone (um Nokia 1508i) levou uma queda. Apesar de continuar funcionando, o visor quebrou e não consigo ver nada. Consegui um aparelho idêntico, que minha mãe tinha parado após ter cancelado seu Livre, mas não consegui transferir devido à burocracia imposta pela Embratel para realizar esta transferência. O segundo e decisivo fator foi que ao voltar das férias, o pessoal do local onde moro estava dividindo uma conexão de 8MB do Velox (obrigado por vir pra Recife e gerar concorrência, GVT 😉 ), num preço bem camarada por cabeça, e decidi entrar no bolo…Hoje estou pagando menos do que pagava no Giro e mesmo nos seus piores momentos, a conexão ainda está melhor do que os meus “melhores momentos” com o Giro.

Hoje, pelo menos para quem está no Recife, posso dizer que não recomendo o Giro. Algumas pessoas de outros lugares, como Manaus por exemplo, vem tendo boas experiências com o serviço. Quem está na dúvida, recomendo MUITO a leitura dos comentários dos outros posts, que relatam bem a experiência das pessoas com o Giro da Embratel em várias cidades do Brasil.

A saga completa:

Embratel Giro – Primeiras Impressões – Parte 1 (a escolha)

Embratel Giro – Primeiras Impressões – Parte 2 (As primeiras 24 horas)

Embratel Giro – Primeiras Impressões – parte 3 (O primeiro mês)

Anúncios

One Response to Embratel Giro – O fim da saga

  1. Georgette disse:

    Muito obrigada pelas dicas, configurei e deu tudo certo com meu W7. Agora estou online novamente.
    um bjo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: